11/12/2016 às 12:52:06

Pesquisadores apontam uma nova alternativa para a cura do câncer infantil

Por Taty Bruzzi
http://m.natelinha.uol.com.br/espelhomeu/imagem/noticia/detalhe/bolorpao.jpg?h=20161211125501 Pesquisadores apontam uma nova alternativa para a cura do câncer infantil

Pesquisa recente representa esperança na cura do câncer infantil. De acordo com cientistas da USP e da Unesp, uma nova enzima pode ser capaz de matar as células cancerígenas da Leucemia Linfoide Aguda (LLA), responsáveis por cânceres em crianças e adolescentes.

Segundo especialistas, o novo biofármaco foi criado a partir da enzima encontrada na levedura. Presente no bolor de pão, ela atualmente está passando por testes. Se aprovada, pode ser uma alternativa mais barata e eficiente para o tratamento do câncer infantil.



O Instituto Nacional do Câncer (INCA) informa que a LLA é a neoplasia infanto-juvenil mais comum. Neste caso, a células leucêmicas não podem fazer o trabalho das células sanguíneas normais e o número dessas células cresce rapidamente, agravando a doença em um curto intervalo de tempo.  

Ainda, de acordo com dados do INCA, entre 2016 e 2017 serão diagnosticados cerca 12.600 novos casos de cânceres pediátricos e juvenis no Brasil. Destes, 25% serão representados pela LLA.

Se aprovado, o medicamento pode agir a favor de pacientes com sensibilidade    

Um dos medicamentos utilizados hoje no tratamento da LLA é composto pela enzima asparaginase, extraída da bactéria Escherichia coli. Embora ele apresente 80% de chances de cura, em torno de 25% dos pacientes sofrem com reações imunológicas, impedindo o uso do fármaco.

Além disso, apesar de haver outros dois medicamentos alterados com o intuito de driblar o sistema imunológico, para assim permitir a continuidade do tratamento, estes não têm a aprovação da Anvisa e, ainda, como são protegidos por patentes custam caro demais.

Sendo assim, a aprovação deste novo medicamento só tende a aumentar a esperança não só dos pacientes como, também, de seus familiares, em obterem um tratamento eficaz mais em conta. 


Comentários

* Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!