Pano pra manga

Caso Gugu: Rose estava com "quadro delirante" quando assinou documento, diz psicóloga

Mãe dos filhos do apresentador também estava com depressão, segundo profissional

Publicado em 06/03/2020 às 10:34


 Caso Gugu: Rose estava com
Rose Miriam luta para ser reconhecida como companheira de Gugu - Foto: Divulgação

Redação NT
i
X

Redação NT

O NaTelinha é um site pioneiro em entretenimento e cultura de televisão no Brasil, sendo referência por sua ética e credibilidade, trazendo sempre a verdade, como deve ser. Twitter: @sitenatelinha / Instagram: @sitenatelinha / facebook.com/sitenatelinha

Publicado em 06/03/2020 às 10:34

A batalha pela herança de Gugu Liberato ganhou mais um capítulo nesta sexta-feira (6). Advogados de Rose Miriam Di Matteo, mãe dos filhos do apresentador, alegam que ela estava com “quadro delirante paranoico” e depressão quando assinou o acordo que a tirou do testamento.

continua depois da publicidade

De acordo com o laudo da psicóloga Vera Lúcia Gonçalves, Rose estaria sob tratamento à base de remédios e os sintomas podem fazer com que tenha perda significativa de memória e situações em que o paciente não consegue juntar as ideias em decorrência de enorme stress das doenças.

O resultado do exame foi produzido no dia 20 de fevereiro e anexado ao processo em que Rose busca ter o reconhecimento de união estável com Gugu, já que a defesa alega que os dois viveram como uma família de modo duradouro e público, mesmo não sendo casados.

Miriam e a família Liberato disputam o direito à herança do comunicador, que gira em torno de R$ 1 bilhão. O testamento foi lido aos familiares após o enterro de Gugu e foi constatado que o documento que excluiu Rose é de 21 de março de 2011.

continua depois da publicidade

Apesar da mãe dos filhos de Gugu ter assinado o contrato, ela alega que vivia uma crise no relacionamento com o apresentador, tentando inclusive suicídio, segundo sua defesa declarou, mas eles conseguiram superar nos anos seguintes.

Para defender a tese sobre tudo isso, os advogados anexaram ao processo cópias do prontuário de internação da paciente no hospital Albert Einstein, em São Paulo, em janeiro de 2011, colocando o atestado médico com as informações dos remédios que ela precisou tomar naquele período.

continua depois da publicidade

Os documentos do hospital ainda comprovariam que Gugu visitou Rose todos os dias, mesmo com a crise conjugal, seguindo a tese de defesa. Nos prontuários, o comunicador teria se identificado como “companheiro (esposo)” de Miriam.

Além dos documentos do hospital, a defesa de Rose ainda anexou cerca de 75 fotos de Gugu, Rose e família em diversas situações, como viagens, comemorações de aniversários, jantares, entre outros encontros, e também mostraram que existiam uma conta conjunta entre os dois.

Em novembro do ano passado, Gugu faleceu aos 60 anos depois de sofrer um acidente doméstico em sua casa, em Orlando, nos Estados Unidos. O velório e sepultamento foram cheios de comoção e teve alta repercussão em todo país.

continua depois da publicidade

Briga judicial pela herança de Gugu

Após o falecimento do apresentador, foi aberto o testamento e Rose Miriam ficou sem herança. Ela entrou na Justiça para ter seu relacionamento com Gugu reconhecido como união estável, o que lhe garantiria um percentual da fortuna do artista.

A família do apresentador tem defendido a tese que Rose e Gugu eram apenas amigos e que o desejo do comunicador deve ser respeitado, ou seja, a maior parte dividida entre os três filhos – João Augusto e as gêmeas Sofia e Marina – e o restante entre a mãe dele, dona Maria do Céu – ela terá uma pensão vitalícia – e os sobrinhos.

continua depois da publicidade

TAGS

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!


FECHAR